IML - Instituto dos Mares da Lusofonia

IML
Noticias
Museu Nacional de Arqueologia: Exposição "O Tempo Resgatado ao Mar"

museunacarqueo

Foi inaugurada no dia 19 de Março de 2014 a exposição O Tempo Resgatado ao Mar, patente ao publico no Museu Nacional de Arqueologia, em Lisboa.

Após cerca de dez anos, o Património Cultural Subaquático volta a estar presente no Museu Nacional de Arqueologia, numa interessante síntese do conhecimento produzido nas três últimas décadas nesta área.

Esta exposição apresenta um espólio diversificado, com mais de 300 peças, oriundas de ambientes marítimos, fluviais ou húmidos de todo o território nacional, algumas delas nunca antes mostradas ao público, que cobrem simultaneamente um vasto espectro cronológico, desde a época pré-romana ao século XX.

A exposição, comissariada pelo Doutor Adolfo Silveira, permite ao visitante uma aproximação aos contextos arqueológicos, ao quotidiano dos navios e da viagem, e aos grandes naufrágios ocorridos na costa portuguesa. 


De salientar a publicação de diverso material, destacando-se desde já um interessante catálogo, que será seguido de diverso outro material de apoio, incluindo material para sensibilizar os mais jovens para esta importante área do Património Cultural Marítimo português.

 
Melhor eficiência energética das pescas

logoafempreto

 O Fórum Empresarial da Economia do Mar (FEEM) , em parceria com o estaleiro Nautiber, a consultora Momento Linear e o centro de investigação INOV, viram a sua candidatura ao projecto ECO-COOLER aprovada. Esta iniciativa reveste-se de grande importância para as pescas em Portugal, envolvendo as inúmeras entidades ligadas à área científica, de investigação e inovação e de administração do sector.

  O ECO-COOLER surge de uma ação-piloto aprovada pelo programa PROMAR, cujo objectivo é desenvolver um protótipo totalmente original que permita a conversão do calor libertado pelo escape dos motores dos navios de pesca para accionar a instalação frigorífica dos porões dos navios  e embarcações de pesca, reduzindo-se, assim, o consumo energético do sistema de refrigeração.

  Este protótipo será desenvolvido pela NAUTIBER – Estaleiros Navais do Guadiana, Lda e pelo centro de investigação INOV, com o patrocínio do FEEM e com a consultoria da firma Momento Linear – Consultores, Lda, associada do FEEM, que montou o processo de candidatura ao PROMAR.

Continuar...
 
Guarda Costeira de São Tomé e Principe

stome ofic

 

Primeira mulher mestre-naval nas Forças Armadas de São Tomé e Príncipe

 

 

Edna Marisa Henriques Manuel após 6 anos de formação em administração naval, na Escola Naval da Marinha de Guerra de Portugal, regressou á sua terra natal, reforçando a edificação da Guarda Costeira são-tomense.

Como novo braço das Forças Armadas de São Tomé e Príncipe, a Guarda Costeira é responsável pela segurança da maior parte do território nacional. Uma unidade militar que se afigura cada vez mais importante para o país, cujo mar representa o seu maior espaço territorial e a única fronteira em relação ao continente africano. A formação de quadros em curso, para dar força ao novo ramo das forças, é um elemento fundamental para garantir a operacionalidade da Guarda Costeira, e conferir segurança ao país e aos cidadãos.

Edna Marisa Henriques Manuel é o mais recente exemplo disso. Pela  primeira vez uma mulher são-tomense, é oficial da Guarda Costeira. Após 6 anos de formação na Escola Naval da Marinha de Guerra  Portuguesa, na classe de Administração naval, regressou ao país no último fim de semana como quadro superior da Guarda Costeira. É mestre em administração naval.

"Idalécio Cubila, Comandante da Guarda Costeira de São Tomé e Príncipe, referiu a importância deste facto, da primeira mulher em São Tomé e Príncipe, como oficial da guarda costeira, que vai administrar todos os serviços da Guarda Costeira".

No passado dia 13 de Setembro, apresentou a sua tese de mestrado na Escola Naval portuguesa tendo sido aprovada, recebendo o grau de mestre. Edna Manuel entrou na Escola Naval da Marinha de Guerra de Portugal no ano 2007, no quadro da cooperação técnico militar entre São Tomé e Príncipe e Portugal.

 

Adaptado da notícia publicada no Jornal "Téla Nón" de S. Tomé e Principe

 
Cartografia náutica nos Paises Lusófonos

ih logo

 

Vai ter lugar no Instituto hidrográfico uma SESSÃO COMEMORATIVA SOBRE CARTOGRAFIA HIDROGRÁFICA NO DIA 22 OUT 2013, (3ª Feira) ÁS 17H00

 Inserida no âmbito do assinalamento da publicação da primeira Carta Náutica portuguesa por ordem do Infante D. Henrique, a 22 de outubro de 1443,​o objetivo desta sessão consiste em divulgar a evolução da cartografia náutica e sensibilizar para a importância desta área do saber, que contribui diária e significativamente para a segurança da navegação.

Esta sessão contempla duas intervenções proferidas por técnicos do Instituto Hidrográfico, subordinadas aos temas “A cartografia náutica portuguesa na atualidade: da carta de papel à carta eletrónica” e “A cartografia náutica nos Países Africanos Lusófonos: perspetivas de desenvolvimento", às quais se seguirá o lançamento do livro “Medidas de Terra e Mar” da autoria do Comte. Luís Miguel Bessa Pacheco.

 

 
Conversas informais no Museu de Marinha

mm conv inf hfons

 

O BRASIL E O MAR

 

Organizada pelo Grupo de Amigos do Museu de Marinha, realiza-se neste próximo dia 19 de Outubro de 2013, Sábado, às 11 horas uma Conversa Informal apresentada pelo Almirante Henrique Alexandre da Fonseca, com o tema: «O BRASIL E O MAR»
A ENTRADA É LIVRE

 

O Vice-Almirante reformado Alexandre da Fonseca, é, entre outros cargos, Vice-Presidente da Direcção do IML e Director da Revista de Marinha.

 

 

 
<< Início < Anterior 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Seguinte > Final >>

JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL

APOIANTES do IV CONGRESSO - 2016