IML - Instituto dos Mares da Lusofonia

IML
Homenagem às vitimas do acidente do NRP "ANTÓNIO ENES" em 1987

acidentecorveta1987red

 A  “Comissão de Homenagem” às vítimas da guarnição da Corveta N.R.P. "ANTÓNIO ENES", promoveu no passado dia 10 de Março na cidade da Horta, ilha do Faial, nos Açores - com o apoio da Marinha - a realização de uma homenagem às vítimas do acidente ocorrido 30 anos atrás, em 10 de Março de 1987. Naquele dia, com a guarnição em “postos de faina”  para executar a manobra de  atracação, ao aproximar-se do porto da Horta, o navio sofreu uma forte explosão à popa, na casa da máquina do leme, da qual resultaram seis mortos e onze feridos. O combustível para os motores de popa dos botes de borracha armazenado a ré, na casa da máquina do leme esteve na origem do acidente.

Seis mortos imediatos (2º Ten. Vicente Rosa, 1º mar Correia Marques, 1º mar Nascimento Raposo, 1º mar Matos Arruda, 2º grumete Marques Mendes e 2º grumete Almeida Castelhano), dois dos quais desaparecidos e vários feridos alguns dos quais amputados.

   

 A referida homenagem consistiu num conjunto de eventos a realizar na cidade da Horta:

 11H00  - Missa na Igreja de Nª Srª. das Angústias

13H00 - Almoço a bordo do NRP "Viana do Castelo"

15H00 - Descerramento de uma lápide alusiva no Porto da Horta

16H00 - Embarque no NRP "Viana do Castelo"

17h15 - Cerimónia de lançamento ao mar de uma "coroa de flores"

Posteriormente, foi também celebrada uma missa na manhã do dia 19 de Março, no Alfeite, na Capela da Base Naval de Lisboa.

 

 

APOIANTES do IV CONGRESSO - 2016

 

 

"...desenvolverá um conjunto de iniciativas e actividades - seminários e conferências relativas ao Mar e à Lusofonia..."


O Instituto dos Mares da Lusofonia tem por missão estimular e intensificar a forma como os Países Lusófonos se posicionam individualmente e interagem entre si nas questões relacionadas com os oceanos.

Esta iniciativa visa contribuir para o alargamento e para a disseminação dos conhecimentos científicos relativos ao uso dos espaços marítimos, bem como encontrar áreas comuns de cooperação, que potenciem o desenvolvimento das economias do mar nos diversos países de expressão portuguesa, procurando, desta forma, ir também ao encontro do espírito e objectivos definidos pela Comunidade de Países de Língua Portuguesa - CPLP.