IML - Instituto dos Mares da Lusofonia

IML
Patrulha ocânico português na Operação" Indalo 2014"

nrp figdafoz

           NRP "FIGUEIRA DA FOZ" mapa indalo

É no período de Verão, em que o estado do mar mais calmo permite a navegação de embarcações pequenas com riscos menores, que se verifica um aumento significativo na imigração irregular proveniente do norte de África em direção à Europa. A operação "ÍNDALO 2014" está centrada no Mediterrâneo ocidental, entre o sul de Espanha e as fronteiras marítimas da Argélia e Marrocos, de Gibaltar para leste, e visa detectar, localizar, identificar e impedir a atividade ilegal de embarcações envolvidas em imigração irregular, e prestar assistência humanitária e socorro a tripulantes e passageiros, sempre que tal se verifique necessário.

Esta missão, enquadrada no esforço Europeu de controlo das suas fronteiras externas, será coordenada pela Guardia Civil de Espanha e conta com a participação de diversos meios de várias entidades de países da União Europeia. O NRP. FIGUEIRA DA FOZ, por exemplo, irá operar em cooperação direta com uma aeronave dos serviços de fronteira da Finlândia. A participação do navio nesta operação decorrerá durante ao longo do mês de Agosto de 2014.

No patrulha oceânico  FIGUEIRA DA FOZ embarcarão dois inspetores do SEF e um oficial de ligação da Guardia Civil de Espanha. Em paralelo, e aproveitando esta excelente oportunidade de instrução, o navio receberá cadetes do 3º ano do mestrado integrado da Escola Naval, durante todo o período da missão.

 
Adjudicado estudo relativo ao Porto de Portimão

portodeportimao

A Administração dos Portos de Sines (APS) e do Algarve adjudicou recentemente ao LNEC – Laboratório Nacional de Engenharia Civil um estudo que tem como objectivo melhorar a acessibilidade marítima ao Porto de Portimão. O LNEC irá  “...aferir da possibilidade de redução do molhe leste do Porto de Portimão em cerca de 70 metros, mantendo as condições de segurança e estabilidade das infraestruturas de protecção marítima e das suas margens.”

Segundo a APS, trata-se do “primeiro passo para que possa ser lançado o estudo de impacto ambiental... com vista à realização das obras que permitirão a receção de navios de maior porte, ...mantendo as necessárias condições de segurança da operação portuária.”

Dadas as condições fisicas que o Porto de Portimão apresenta, neste momento apenas 5 % dos 145 navios que compõem a frota das 10 companhias de cruzeiros com maior quota de mercado internacional, em termos de passageiros (82 % em 2013), é que têm dimensões para atracar no cais do porto. Por outro lado, o crescimento das dimensões dos navios é uma tendência que se tem vindo a verificar no sector dos cruzeiros. Se tivermos em conta os 23 navios encomendados e que serão entregues no período entre 2014 e 2016, verificamos que metade desses navios tem mais de 300 metros de comprimento.

 
Visita a Angola do Chefe do Estado Maior da Armada de Portugal

cema lfragoso

CEMA Português visita Angola

 O Chefe do Estado Maior da Armada (CEMA) Almirante Luís Macieira Fragoso visitou recentemente Angola a convite do seu homólogo angolano, o Almirante Augusto da Silva Cunha. Na sequência das audiências que teve em Luanda com o Ministro da Defesa Nacional, João Lourenço, e com o CEMGFA, General Geraldo Sachipengo Nunda, no passado dia 8 de Julho, em declarações aos orgãos da comunicação social, Macieira Fragoso declarou “a ... total disponibilidade ... da Marinha Portuguesa para cooperar com a Marinha de Angola no desenvolvimento das suas actividades”.

 No decurso da sua visita, Macieira Fragoso assistiu ao encerramento do 16º Curso de Fuzileiros Navais, realizado com o apoio de assessoria portuguesa, deslocou-se a Benguela onde visitou a Escola de Especialistas Navais, na Catumbela, e participou no dia 10 de Julho no ato central das atividades comemorativas do 38º aniversário da fundação da Marinha de Guerra de Angola, cerimómnia que se realizou no municipio do Ambriz, provincia do Bengo.

 Nestas comemorações do aniversário da Marinha de Angola, o Alm Macieira Fragoso referiu que no âmbito da cooperação bilateral “... a área prioritária continua a ser a formação, que é a base da construção de uma Marinha...  e ainda que ...está a ser preparado um protocolo neste âmbito, a ser assinado em breve em Lisboa.”. No discurso que proferiu nas comemorações em apreço o CEMGFA, General Sachipengo Nunda assinalou que “... a Marinha de Guerra é uma componente muito importante das Forças Armadas Angolanas, porque o nosso país possui uma vasta extensão marítima, calculada em cerca de 162.000 milhas quadradas, onde se realiza a maior parte da exploração petrolífera”. Revelou que há dois anos que se trabalha para reverter a situação da Marinha de Guerra Angolana quanto ao seu equipamento, acrescentando  ... está na fase final o processo de aquisição de meios navais, que vão mudar completamente o panorama atual da Armada.

 
<< Início < Anterior 41 42 43 44 45 46 47 Seguinte > Final >>


APOIANTES do IV CONGRESSO - 2016

 

 

"...desenvolverá um conjunto de iniciativas e actividades - seminários e conferências relativas ao Mar e à Lusofonia..."


O Instituto dos Mares da Lusofonia tem por missão estimular e intensificar a forma como os Países Lusófonos se posicionam individualmente e interagem entre si nas questões relacionadas com os oceanos.

Esta iniciativa visa contribuir para o alargamento e para a disseminação dos conhecimentos científicos relativos ao uso dos espaços marítimos, bem como encontrar áreas comuns de cooperação, que potenciem o desenvolvimento das economias do mar nos diversos países de expressão portuguesa, procurando, desta forma, ir também ao encontro do espírito e objectivos definidos pela Comunidade de Países de Língua Portuguesa - CPLP.